A ASSOCIAÇÃO
PRIMEIRA PESSOA
GUIAS
NOTÍCIAS
EDITORA PÚBLICA
REDE
CONTATO
ASSOCIE-SE
LOGIN
Jeduca | Associação dos jornalistas de educação
notícia

Jeduca critica gestão Doria por ameaçar acesso à informação

08/11/2017

Reportagem do Estadão mostra que chefe de gabinete da Secretaria de Comunicação admitiu 'dificultar' atendimento de pedidos apresentados por jornalistas com base na LAI (Lei de Acesso à Informação)

Prefeito Doria: administração negou irregularidades, mas chefe de gabinete deixou cargo
Agência Brasil

A Jeduca considera inadmissível a postura da gestão do prefeito paulistano João Doria de dificultar o acesso de jornalistas a informações e dados públicos por meio da LAI (Lei de Acesso à Informação). Revelada nesta quarta-feira (8/11) pelo jornal O Estado de S. Paulo, ela afronta não só a liberdade da imprensa, mas direitos básicos da sociedade, já que a LAI permite a qualquer cidadão requerer informações do poder público.

 

Na reportagem do Estadão, apurada por Luiz Fernando Toledo a partir da gravação oficial de uma sessão da Comissão Municipal de Acesso à Informação, o então chefe de gabinete da Secretaria de Comunicação Lucas Tavares afirma que vai “botar para dificultar” o acesso aos dados, apostando que, se a resposta demorar, o jornalista vai “desistir da matéria”.

 

A prefeitura negou ter praticado irregularidades, mas o chefe de gabinete deixou o cargo. De qualquer forma, a reportagem mostrou que tanto o número de solicitações sem resposta da prefeitura quanto o de pedidos com prazo prorrogado cresceram entre janeiro e maio deste ano, na comparação com o mesmo período de 2016. 

 

Na gravação, Tavares admite a hipótese de dar tratamento diferenciado de acordo com o autor do pedido. “Eu tenho um ‘ranquezinho' mental aqui dos caras, dos jornalistas que mais pedem”, diz, mencionando, além do próprio Luiz Toledo, a jornalista da TV Globo Roberta Giacomoni e o repórter do jornal Agora, William Cardoso.

 

Especialistas do meio jurídico ouvidos pelo Estadão afirmam que esse tipo de conduta pode caracterizar improbidade administrativa e prevaricação.

 

A ilegalidade da postura da prefeitura também é ressaltada em nota da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). “A prática discriminatória contra jornalistas revelada pelo repórter Luiz Fernando Toledo é inconstitucional. Viola dois princípios da administração pública: a impessoalidade e a publicidade. Configura improbidade administrativa”, diz a nota.

 

Além de se solidarizar com os jornalistas e veículos envolvidos no episódio, a Jeduca espera que a prefeitura não crie empecilhos a uma iniciativa que diz respeito mais diretamente aos jornalistas de educação. Oficializada em uma portaria de 22 de novembro, a Política de Transparência Ativa e Dados Abertos da Secretaria Municipal de Educação já tornou públicas informações essenciais para a cobertura de educação, como séries históricas de demanda e dados sobre matrículas, taxas de rendimento e perfil dos alunos.

 

A Jeduca tem a transparência como uma de suas bandeiras e apoia enfaticamente iniciativas de dados abertos (tanto que publicou em seu site um texto de Toledo sobre o uso da LAI e outro a respeito da Política de Transparência Ativa). Até porque, quando as informações já estão disponíveis, os jornalistas não precisam fazer pedidos formais de acesso a elas. Manter dados atualizados acessíveis para todos deveria ser a regra do serviço público, não a exceção.

 

* Antônio Gois é presidente da Jeduca

apoiadores
Itau Social
Itau
Instituto C&A 25 anos
Telefonica Fundação / Vivo
Fundação Lemann
CENPEC
Campanha Nacional pelo direito à educação
Parto Lauand
Todos pela educação
Instituto Ayrton Senna
Instituto Unibanco
Fundação Roberto Marinho
OEI
ABRAJI
Cooperação reperesentação do Brasil
JeffreyGroup
primeira pessoa